Designer Silhouette Brasil

Oiiii gente linda! Demorei mas cheguei para contar que agora faço parte do time de designer da Silhouette Brasil!

Deixei um pouquinho minha super maquininha de corte paradinha para me dedicar aos tecidos e feltro e não mais a papelaria personalizada. E eis que surge a oportunidade de unir as duas coisas, trabalhar com a Silhouette e tecidos ao mesmo tempo!

Fiquie super feliz e agradecida com o convite, aceitei de coração e espero poder compartilhar muitas coisas lindas e ajudar a quem tenha dificuldades e dúvidas com essa máquina tudo de bom! rs

Passa lá no Blog da Silhouette que já publiquei dois PAP´s bem legais!

Festinha na Escola

A escola dos meninos permite que as crianças comemorem seus aniversários no horário do lanche. Algumas regrinhas devem ser respeitadas, tais como não ousar demais, se possível não utilizar bexigas, não atrapalhar as demais salas de aula e não ultrapassar o horário permitido.

Esse ano fiz a festinha do Léo junto de dois amiguinhos que estudam com ele desde o infantil 3. O tema escolhido pelos meninos foi esportes.

Desta vez  tive a ideia de contratarmos nosso colega fotógrafo Raphael Federighi para registrar tudinho (já que as mamães não podem participar =( ) e o resultado ficou lindo!

Espiem só algumas fotos da decoração! Fica a dica amores, perguntem na escola dos filhotes se é permitido, vale a pena, eles aproveitam muitão viu!














Lembrancinhas de Páscoa para as professoras

Mudei o foco no ateliê mas ainda AMO um papel! rs... Minha Silhouette continua na ativa aqui nas festinhas dos pequenos, lembrancinhas para a escola, etc e tal.






Essas foram as caixinhas que fiz para as queridas professoras dos meus filhotes, coloquei mini ovinhos trufados dentro e prontinho! Uma lembrancinha fofa, personalizada e exclusiva, como toda boa arteira gosta.
(criação do molde: Maricota Design)

6 aninhos do Léo

E hoje é aniversário do meu primeiro amor sem limites! Filho, TE AMO! que Deus, a Mamãe do Céu e os anjinhos lhe guardem hoje e sempre!

Esse texto traduz perfeitamente todo meu sentimento... tudo o que aconteceu na minha vida e continua acontecendo a partir do momento em que ouvi seu chorinho pela primeira vez! Obrigada por me fazer nascer como mãe!

"Dizem: quando nasce um bebê, nasce uma mãe também. E um polvo. Um restaurante delivery. Uma máquina de chocolate prontinho. Uma mecânica de carrinhos de controle remoto. Uma médica de bonecas. Uma professora-terapeuta-cozinheira de carreira medíocre. Nasce uma fábrica de cafuné, um chafariz de soro fisiológico, um robô que desperta ao som de choro. E principalmente: nasce a fada do beijo.

Quando nasce um bebê, nasce também o medo da morte – mães não se conformam em deixar o mundo sem encaminhar devidamente um filho.

Não pense você que ao se tornar mãe uma mulher abandona todas as mulheres que já foi um dia. Bobagem. Ganha mais mulheres em si mesma. Com seus desejos aumentam sua audácia, sua garra, seus poderes. Se já era impossível, cuidado: ela vira muitas. Também não me venha imaginar mães como seres delicados e frágeis. Mães são fogo, ninguém segura. Se antes eram incapazes de matar um mosquito, adquirem uma fúria inédita. Montam guarda ao lado de suas crias, capazes de matar tudo o que zumbir perto delas: pernilongos, lagartas, leões, gente.

Mães não têm tempo para o ensaio: estreiam a peça no susto. Aprendem a pilotar o avião em pleno voo. E dão o exemplo, mesmo que nunca tenham sido exemplo. Cobrem seus filhos com o cobertor que lhes falta. E, não raro, depois de fazerem o impossível, acreditam que poderiam ter feito melhor. Nunca estarão prontas para a tarefa gigantesca que é criar um filho – alguém está?


Mente quem diz que mãe sente menos dor – pelo contrário! Ela apenas aprende a deixar sua dor para outra hora. Atira o seu choro no chão para ir acalentar o do filho. Nas horas vagas, dorme. Abastece a casa. Trabalha. Encontra os amigos. Lê – ou adormece com um livro no rosto. E, quando tem tempo pra chorar – cadê? -, passou. A mãe então aproveita que a casa está calma e vai recolher os brinquedos da sala. “Como esse menino cresceu”, ela pensa, a caminho do quarto do filho. Termina o dia exausta, sentada no chão da sala, acompanhada de um sorriso besta.


Já os filhos, ah… Filhos fazem a mãe voltar os olhos para coisas que não importavam antes. O índice de umidade do ar. Os ingredientes do suco de caixinha. O nível de sódio do macarrão sem glúten. Onde fica a Guiné-Bissau. Os rumos da agricultura orgânica. As alternativas contra o aquecimento global. Política. E até sua própria saúde. Mães são mulheres ressuscitadas. Filhos as rejuvenescem, tornando a vida delas mais perigosa – e mais urgente.


Quando nasce um bebê, nasce uma empreiteira. Capaz de cavar a estrada quando não há caminho, só para poder indicar: “É por ali, filho, naquela direção”.". (Cris Guerra)

Molde e Mini Tutorial - Coelhinha (Free)

Alguém gosta de coelhas fofinhas por aí? Eu AMOOO! rsrs...

Já tem algum tempinho que venho me planejando para criar algumas apostilas, e a primeira já tem tema definido (surpresaaaa hihihi). Mas como nunca havia criado moldes para disponibilizar achei por bem começar com uma simples e "de grátis" para ter um retorno de vocês, tipo uma pesquisa de opinião, se deu certo, se aprovam a ideia, etc.

A opinião de vocês é SUPEEERRRR importante para mim ok? Deixem seus comentários please!

Para fazer o download é só clicar na imagem e baixar!

19 de março - Dia do Artesão

AMOOOO o que faço e por saber o trabalho e todo carinho envolvido tenho muito orgulho por essa profissão que escolhi seguir.

Hoje no dia do artesão além de parabenizar a todos que embelezam a vida com suas artes, gostaria muito de pedir a conscientização, o retorno da ética e a valorização do artesanato.

Amigas e amigos, um produto artesanal é único! O processo de criação envolve muita dedicação, carinho, criatividade. Capriche, invista!

Na minha opinião, não adianta apenas decidir trabalhar com artesanato, sair por aí apenas copiando (no bom sentido tá?) técnicas de outros profissionais e pronto, sucesso nos negócios. Nanão! rs...  é necessário GOSTAR do que se faz, é preciso colocar a cabeça para funcionar (quase pifar) mas dar um toque único em cada risco, em cada ponto, em cada botãozinho pregado.

É preciso utilizar materiais de qualidade (você usa? ufa, rs) e dar valor, muito valor ao acabamento perfeito!

"Ai mas eu não sei criar meus moldes, não tenho tempo... prefiro utilizar moldes prontos que encontro na internet ou "roubartilhar" apostilas por aí para economizar!" Investimento não é gasto gente! E de quebra a pessoa que compra ainda respeita e valoriza o trabalho da colega que se dedicou na criação da apostila (e ó, te garanto, da trabalho!). 
Sobre criar moldes, treino! Empenho, dedicação! Quem quer consegue! Errando a gente chega lá! (a primeira bonequinha que fiz com um molde feito por mim parecia um boneco de vudu!)

É preciso tratar o cliente com respeito e simpatia sempre! E a partir daí surpreender-se com o resultado. "A melhor propaganda é feita por clientes satisfeitos".

Investir (olha aí o investimento novamente) na identidade visual:
logotipo, cartões de visita, etiquetas, etc. A primeira impressão é a que fica.

É válido, muito válido caprichar no pacote da encomenda,  colocar carinho nos mínimos detalhes. Um cartãozinho escrito a mão, um cheirinho bom, o cliente deve abrir a encomenda e sempre, sempre se encantar!


Já pararam para pensar que o trabalho artesanal é o único em que o carinho do criador está ali em cada pedacinho?  Gente, se a pessoa não gostar, não estiver inspirada e com a energia boa a coisa não sai! Então quem compra precisa entender isso, e se não entende está na hora de começar a se conscientizar. E sabe quando? Quando todas as artesãs e todos os artesãos encararem o artesanato como profissão, e não como um passa tempo de dona de casa sem emprego!
VALORIZAR parar sermos VALORIZADAS(OS)! Não tem muito segredo... DUVIDO que um profissional empenhado, cobra um precinho simbólico pelo seu serviço, ou melhor, aceita que seu possível cliente o leve na conversa. Que precinho camarada o que! Nosso trabalho é único, nossa hora trabalhada tem valor!

Hoje, na hora de assoprar as velinhas do bolo das arteira e arteiros eu vou pedir que nossa profissão se destaque a cada dia e que mais e mais pessoas queiram seguir nossos passos! Sucesso amores! 


Inspirações para a Páscoa

Vou confessar uma coisa para vocês, se eu tivesse tempo disponível sou daquelas que decoraria a casa para todas as festas do ano. AMO de paixão! Decoraria até o banheiro se pudesse! Mas, enquanto não consigo, antes de dormir sempre fico no Pinterest babando nas ideias, nas coisas mega fofas que encontro por lá e criando um acervo de ideias para o futuro, rs.

Espiem só que amor algumas ideias que separei ontem...







Trabalhar em casa

Trabalhar em casa foi uma opção minha a partir do momento em que resolvi ter um filho, mas eu não fazia ideia do que viria pela frente. Nesses quase 6 anos de Leonardo e quase 4 de Felipe já comecei e desisti várias vezes. É complicado conciliar todas as tarefas do lar com o trabalho.

Não sair de casa todas as manhãs para trabalhar não significa não trabalhar, pelo contrário. Trabalhar em casa  principalmente com criança pequena é frenético! E eu arrisco a dizer que tem dias que morro de inveja de quem sai para trabalhar todas as manhãs, e pode se dedicar tranquilamente em um projeto, que consegue conversar com outras pessoas, mudar o foco um pouco, entre outras coisas.

Em casa além dos assuntos profissionais você tem o marido que vem almoçar, a casa, o cachorro, o gato, o periquito pra dar conta. Você tem o filho que está com uma sede do Saara e não pode esperar 5 minutos, ou uma fome de leão que se não comer em 10 segundos entra em inanição.

Então no primeiro assunto do blog resolvi falar um pouquinho de como eu me organizo aqui para dar conta da casa e do trabalho ao mesmo tempo. Completaram dois anos que não tenho uma boa alma pra me ajudar nos afazeres domésticos. Como diz uma amiga minha, está mais fácil arrumar marido milionário, lindo e gostoso do que uma boa faxineira.  Pois bem, o que não tem remédio, remediado está... sou eu mesma na labuta.

No início eu queria abraçar o mundo de uma vez, queria limpar a casa, cozinhar, dar banho no filho, passar roupas e costurar uma boneca ao mesmo tempo! Conclusão: não dá! Não rola! Ainda não inventaram clones nem mãos extras e eu só me estressava, me sentia o cocô do cavalo do bandido, e "pracabá" com meu ser ainda ouvia de pessoas que estão listadas no meu caderninho: "oooo que beleza ficar em casa... Não ter que trabalhar fora deve ser o céu".

Mas eu desisti? Não! Foi aí que descobri o segredo minha gente! E como sou boa moça vou contar para vocês: PLANEJAMENTO!  PLA-NE-JA-MEN-TO!

Faça o teste, mês de março começou tem poucos dias, tente seguir essas diquinhas adaptando ao seu dia-a-dia e me diz depois se a coisa não fluiu e você gritou menos com a cara enfiada no travesseiro beirando a loucura (opa, essa era eu).

Repetindo, é só um exemplo da divisão ok? Cada uma sabe onde o calo aperta ou quando as coisas estão mais tranquilas para realizar as tarefas, mas eu divido assim e me ajuda bem.

LIMPEZA:

Dois dias seguidos do mês: faxina pesada
Aquela que você limpa rejunte até não querer mais, esfrega parede, quase se mata sufocada com tanto cloro, etc e tals.

Depois de 15 dias: banheiros e cozinha 
Banheiros e cozinha não dá pra não "limpar bem limpado" pelo menos duas vezes no mês né? Nesse dia eu trabalho no ateliê se sobrar tempo, então deixo esse dia como não trabalhado.

Todos os dias: arrumo cama, lavo louça, dou aquele "tapa".

Dia sim dia não: varro e passo pano.

Uma vez por semana: lavo a sacada

ROUPAS:
Uma vez por semana (início): troco a roupa de cama e toalhas e lavo a maior quantidade de roupas que eu conseguir. Como não sou escrava do tanque coloco praticamente tudo na máquina e é só esperar. Salvo as meias dos meninos e panos de prato que eu deixo de molho e dou uma esfregadinha básica (santo vanish white, omo líquido, ariel e dicas de vó).

Uma vez por semana (final): passo (tento) roupas. Odeioooo com todas as minhas forças passar gente! Daí que tem semana que passa batido, confesso, e vou passando conforme a necessidade. Para ajudar, quando lavo penduro camisas sociais em cabides e não uso pregador em nada.

COMIDA: 

Marido vem almoçar em casa todos os dias e leva os meninos pra escola. Então eu tento ser prática no fogão. Não sou amante mas me viro bem. Então por aqui arroz e feijão tem praticamente todos os dias, apenas um dia na semana eu faço uma massa. Tendo o arroz com feijão, a "mistura" como diz minha vózinha, eu vou no prático e rápido, carne de panela, frango grelhado, legumes cozidos, etc e tals. E com os "soborôdontê" (as sobrinhas boas) faço bolinho de arroz, torta salgada e por aí vai.  Mas é claro que tem dia que não estou com saco e vamos de cachorro quente e pizza por exemplo.

Tirando os dias de faxina pesado, em todos os outros eu costumo fazer tudo na parte da manhã, tipo mulher polvo mesmo: "tapa" na casa, comida, lição de casa, roupa na máquina (bisbilhotar o face, matracar com as amigas pelo zapzap) e tralálá. Quando marido e filhos saem eu lavo a louça e começo a trabalhar no ateliê e daí vou até às 19:00. Horário que geralmente eles chegam.

Noites e finais de semana eu procuro sempre não trabalhar e curtir minha família, mas é claro que tem vezes que não dá e o trabalho se estende pela madrugada ou pelo sábado.

Fácil? Não! Frenético? Sim! Mas é costume, com o planejamento nos eixos a coisa flui e você se sente bem, com a sensação de dever cumprido sempre!

Escrevi um pergaminho enorme logo no primeiro post! Espero que não se assustem e voltem mais vezes! rs. Para quem conseguiu chegar até aqui que eu possa ter ajudado de alguma forma. Se não, que pelo menos eu tenha mostrado minha rotina pros recalcados que acham que passo o dia de pernas pro ar comendo brigadeiro e assistindo sessão da tarde! rsrs.

Beijos no coração. Até a próxima!